sábado, 30 de abril de 2011

Talvez por merecer

Um vinho ou outro e eu me lembro de ti. Paisagem nos olhos e encontro você me pedindo mil coisas que eu quero te entregar. Talvez foi o destino que me tirou do tédio te trazendo pra mim. E eu sempre tão óbvia fiz me acreditar no teu olhar. Traz-me aquela paz e eu te ensino meu amor o amor que não se ensina apenas toca. As palavras já não descrevem o que sinto por você. Gosto de lhe ver me entregando tudo o que é teu em minhas mãos e daí te sinto como se não houvesse sim ou não. A verdade é que preciso de ti como criança, como quem quer fantasia e música. E por isso te quero em minha estrada. E por hora quero que seja muito, o muito que tenho para te entregar. Talvez eu te ame como quem ama fantasia e então lhe desejo sorte, muita sorte em teu amor que por acaso já é meu. Amo-te como se o infinito fosse pouco. E quero-te como se as manhãs fossem poucas demais. Quando te escuto lhe quero muito, muito mais. Ando te merecendo e és meu conto de fadas. Amo-te infinitamente até o fim e peço  chorosa: "cante pra mim!"

3 comentários:

Ananda disse...

As palavras já não descrevem o que sinto por você.

Falou e disse! *.*

O Profeta disse...

Fiz magia com todas as cores que tinha
Fiz aparecer na tela um tocador
Pintei-lhe um violoncelo a preceito
Mas ele não sabia tocar uma música de amor…

O amor nunca acontece sem amor
Esta coisa do amor será fantasia?
Será uma noite vestida de nostalgia?
Será planta envergonhada que floresce ao fim do dia?

Seja o que for, tem o nome de amor
Acho bem que seja assim
Há quem diga que se enraíza para sempre
E floresce como planta de alecrim

Doce beijo

Camila Alves disse...

O amor é indescritível.. E se não fosse, perderia a sua essência verdadeira... :]

Beijos!

Vou te seguir!
:*