sábado, 18 de junho de 2011

Da madrugada... Você!

Vou te tocar e ter mais de você
Jogar o conhaque fora e ficar pra ver
Todo o drama do teu nobre querer
Eu vejo você chamando a mim
E teu corpo é tão quente
Vou ficar por aqui!
Me dispa e sinta meu breve chamado
Sem você meu bem, sou só um ímpar 
Um ímpar vencido, sem ter vitória à gritar
E eu grito seis, mais três que nove fica
E eu aceito, blefo com espadilha na mão
Mas na nossa vontade é só a gente que ganha
Ganha o sussurro e o grito de amor
Mas você já sabe que ganhando ou perdendo
O vinho acaba e quando acaba a gente se deita
É deitada que grito você, e é só você todo o tempo
O tempo invertido parece um nunca mais
Nunca mais vou dizer tchau
Só se amanhã não gritar meu nome
Mas grite sim, em tremor e em vontade
Grite meu nome meu nobre querer
Peça você dentro do meu eu,
Pois peço você comigo fora do teu ser!

4 comentários:

Cíntia' disse...

'E teu corpo é tão quente
Vou ficar por aqui!'

Resume o que eu mais queria no momento! Lindo o texto :)

Ananda disse...

Uaaau...

Poeta Insano disse...

Intenso!

Uma paixão desmedida, transformada
em palavras.
Isso chama-se amor, desejo e paz.

Um abraço!

Bianca Vieira disse...

=O=O Meeeeeuuuu Deeeuuus, de onde vc tirou essa inspiração? LALA'
Ameeei a parte em que vc faz alusão ao truco, claro! hsuahsuahs'